Vanguart

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Antissocial




O dicionário online Web define antissocial como a pessoa que se opõe ou é prejudicial à organização da sociedade, à ordem social. Confesso que não tinha consciência que eu fosse prejudicial à organização da sociedade, mas não posso negar minha essência. Eu sou antissocial.
Outro dicionário me diz que ter comportamentos antissociais em algum momento não indica necessariamente um transtorno de personalidade antissocial. Ufa!
O fato é que ando fechando os vidros do carro quando estou na rua da minha casa só para não cumprimentar sempre os mesmos vizinhos, que eu não troco uma ideia há no mínimo dois anos. Pronto, falei. Não é que eu queira me defender, mas eu posso sair e chegar na minha casa de meia em meia hora e aquela senhora aposentada sempre está varrendo a calçada. Uma vez, há mais de dois anos, troquei meia hora de conversa com ela. Por mim seria menos, mas ela se agarrou em mim com uma sede de falar e de ser ouvida que eu não conseguia me despedir.
Eu sei, eu sei que estou sendo cruel e insensível. Tenho lembranças da minha infância, em que meus pais colocavam suas cadeiras de plástico nas calçadas e os vizinhos deles também e eles só entravam depois de as costas estarem doloridas e tatuadas com aquelas marcas que os plastiquinhos deixavam.
É não é só isso! Eu também não atendo ao telefone. Costumava não atender depois de ver o número que estava me ligando e considerar a pessoa não muito querida. Ultimamente não estou atendendo nem a moça da promoção do supermercado que quer me falar que eu acabo de ganhar um carro zero.
Minhas pesquisas em busca de cura me informam que os indivíduos antissociais aprendem a comportar-se dessa forma à medida que seus atos produzem como consequência a remoção ou a eliminação de eventos perturbadores, ameaçadores ou perigosos, de forma que ele consiga livrar-se, fugir, esquivar-se ou diminuir a frequência ou a intensidade de uma estimulação considerada negativa. Também não visito mais parentes que gostam de chorar as pitangas e falar mal do resto da família. E no supermercado eu desvio e fujo de conhecidos grudentos.
Culpa ou não do cansaço e da correria do dia a dia reconheço os pequenos deslizes. Até agora não penso que o caso é grave, mas se ficar pior só mudando para uma ilha deserta...

Nenhum comentário: