Vanguart

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Tempo Rei




Você já teve a sensação de que um fato ocorrido há muitos anos às vezes parece ter ser dado no mês passado? Já viu fotos antigas suas e ficou horrorizado com o corte de cabelo ou com as roupas fora de moda e constatou que muitos anos já se passaram? Pois é. O tempo passa. O tempo voa, já dizia uma propaganda antiga de um banco que nem existe mais.

Minha avó tem 85 anos mas não se reconhece no espelho. Alegre e brincalhona, ela me diz: “Eu não vi o tempo passar. Eu sou a mesma mocinha de 20 anos que um dia eu fui. É assim que me sinto por dentro.”

“Não se iluda, tudo permanecerá do jeito que tem sido, transcorrendo...” canta Gilberto Gil em sua “Tempo Rei”. Talvez o tempo seja mesmo um senhor cheio de majestade. Diante dele todas as formas de poder se curvam.

Os gregos antigos tinham duas palavras para o tempo: chronos e kairos. Enquanto o primeiro refere-se ao tempo cronológico (ou sequencial) que pode ser medido, esse último significa "o momento certo" ou "oportuno": um momento indeterminado no tempo em que algo especial acontece.

E são os momentos especiais que ficam gravados na memória. Não é à toa que uma das frases mais ouvidas é: “Ah, no meu tempo é que era bom!” . Os seres humanos criaram rituais para marcar o tempo bom, o tempo de felicidade. Tudo que for possível para que esse tempo dure é valorizado. Fotos, filmes, símbolos e a velha e eficaz conversa entre amigos, de preferência em festinhas de confraternização.

Uma situação curiosa ocorre quando encontramos pessoas que não vemos há muito tempo, mas que fizeram parte da nossa vida. Ex-colegas de escola, por exemplo. Será que a fulana está mais velha do que eu? Se estamos cercados por amigos, é certo que nos tranquilizam. Muito mais velha do que você! Mais tarde, sozinhas com nosso pensamento, temos um calafrio só de imaginar que devemos ter passado a mesma imagem pra outra pessoa. Estamos tão velhos quanto ela.

Não se iludam

Não me iludo

Tudo agora mesmo

Pode estar por um segundo...(Gilberto Gil)

Nenhum comentário: