Vanguart

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Deixai vir a mim as criancinhas porque delas é o reino escolar


Faz pouco tempo que a pasta da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo foi ocupada por um professor que, em suas palestras, propunha a pedagogia do afeto. Era preciso que professores acolhessem os alunos de um modo semelhante às pregações de Jesus Cristo nos Evangelhos. Só faltava ter de alterar o ensinamento do Filho de Deus para “deixai vir a mim as criancinhas porque delas é o reino escolar”. De fato, o ambiente escolar hoje é, mais do que nunca, não apenas das crianças, mas também de adolescentes e jovens. Isso seria ótimo se esse “reino” fosse lugar de constante ensino e aprendizagem. O que houve, na verdade, foi uma distorção de valores e incumbências, pois, infelizmente, muitos jovens vão à escola com o último interesse em estudar. Compete ao professor hoje dar atenção ao aluno para que ele não se sinta excluído do “reino escolar”, mas isso não quer dizer necessariamente que o educador tenha de ensinar intensa e entusiasticamente os conteúdos aos seus estudantes. O professor tem de ser paciente com a realidade do aluno; o professor tem de compreender as dificuldades por que passam estudantes e sua família; o professor não pode exigir demais dos alunos, senão eles podem se desanimar com os estudos e abandonar a escola; o professor tem de concordar com as todas as atitudes dos que estão ali para estudar, respeitando a vontade dos alunos sobre o que ensinar, como ensinar, quando ensinar, para que ensinar e se realmente é preciso ensinar; o professor tem de compreender que o aluno tem o direito de aprender quando lhe aprouver, mas o educador deve saber que ele tem a obrigação de ensinar sempre, procurando motivar o estudante para o real significado dos conteúdos escolares; o professor tem de ser assistencialista, pois já não há mais espaço nem época para aquele profissional que apenas preparava aulas, corrigia provas, pesquisava materiais para enriquecimento curricular e realizava tarefas burocráticas (preencher diários, papeletas, ofícios exclusivos da secretaria e da direção de escola etc.); o professor não precisa ter vida própria mas... DEVE SER AMIGO DOS SEUS ALUNOS. Hipocrisia é bobagem... Para ser sincero, não é essa a concepção filosófica de amizade na sala de aula que Aristóteles propôs. De acordo com o filósofo, a amizade se sobrepõe à justiça, já que aquela estabelece a concórdia para a convivência e a manutenção de um mundo mais justo. Para que a amizade seja verdadeira, é necessário preservar princípios éticos, morais e cidadãos. Quando se percebe a ética no ambiente escolar, nota-se que alunos têm confiança em seus professores e ambos estão em constante diálogo. Nesse caso, regras são estabelecidas facilmente, numa convivência diária e democrática. Essa relação dialógica de confiança não envolve apenas professores e alunos, mas os familiares destes e todos os demais envolvidos no processo educacional, incluindo funcionários e, principalmente, diretores e supervisores (já que estes são, antes de assumirem cargos meramente administrativos, professores, e devem se lembrar de que também ocupam cargos pedagógicos). Somente com o fortalecimento desses laços de amizade é que alunos entenderão a importância de que, para sua aprendizagem ser bem-sucedida, é preciso agirem com responsabilidade, compromisso e motivação própria para seu progresso e superação de seu estado atual, vislumbrando - segundo Kant - uma vida melhor. E eles necessitam da ajuda de seus professores e os demais envolvidos na sua vida escolar, que somente pode ser realizada se houver não apenas uma “pedagogia do afeto”, mas, principalmente, uma pedagogia da amizade que abranja a ética, o respeito, a honestidade e o desejo constante pelo saber. Ora, “saber é poder”, segundo Francis Bacon, e professores e alunos têm esse poder...

ARTUR GERALDO PAIS
Professor de Inglês, Português e Espanhol (e amigo!)
EE CAROLINA FRANCINI BURALI

Um comentário:

ARTURpop2001 disse...

Adorei a postagem e a referência no final do texto. Você não existe, minha amiga! LOVE YA FOREVER!!! Kisses!!!